Irene no Céu

11 outubro, 2011Flávia Frota
vo-izaltina

Dona Rocilda [Vó Dindinha] e Izaltina

Irene no Céu

Manuel Bandeira

Irene preta
Irene boa
Irene sempre de bom humor. Imagino Irene entrando no céu:
– Licença, meu branco!
E São Pedro bonachão:
– Entra, Irene. Você não precisa pedir licença.

Homenagem a Izaltina e Dona Rocilda

Hoje, que Izaltina partiu, foi impossível não pensar em minha avó Rocilda. Ela será uma das muitas pessoas queridas, que vão receber a Izaltina com festa lá no céu.

Izaltina sempre de bom humor
Imagino Izaltina entrando no céu:
-Licença, madrinha Rocilda!
E Dona Rocilda bonachona:
-Entra Izaltina. Você não precisa pedir licença.

Madrinha Rocilda, era assim que Izaltina chamava, carinhosamente, minha avó, que ela escolheu como madrinha por afetividade. E assim se agregaram também irmãs e netas postiças.
Dividimos, hoje, a mesma dor, as mesmas lembranças e a grande saudade…

Coração puro, uma vida de dedicação, amor e honestidade. Esse foi o grande legado que elas deixaram.

“De bom humor”, Izaltina viveu sempre. Não reclamava. Até na hora do sofrimento, vislumbrava um futuro melhor. Viveu sorrindo para a vida e, por isso, a vida sorriu para ela também.

Izaltina e Avozinha Rocilda, temos saudades, sim, mas conforta-nos saber que vocês agora podem gozar a felicidade plena, livres dos sofrimentos terrenos.
Feliz de quem tem uma religião, uma crença e fé em Deus. Só assim podemos enfrentar esses momentos sem desabar.

Mulheres fortes como Izaltina e Avozinha Rocilda deixaram seus familiares e amigos fortificados, com estrutura para aguentarem firmes e seguirem em frente, sem fraquejar.
E quando a saudade bater, as lágrimas rolarem, lembremo-nos de Santo Agostinho: “A dor de ter perdido não supera a alegria de um dia ter possuído”.

Quando alguém querido parte, sentimos saudade. E quem recebe esse alguém sente felicidade!

Izaltina Fontão Valente do Couto morreu dia 4 de outubro de 2011, aos 77 anos.
Rocilda Soares da Cunha Bezerra morreu em 28 de março de 1999, aos 92 anos.

PS: Conheci o poema “Irene no Céu” declamado pela professora Ritta Haikal, no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora. Até hoje, esse poema ecoa a doce sonoridade de sua voz.

 

Você também vai gostar de ler: